Cruzada Vascaína publica nota sobre comissão da reforma do estatuto

Publicado em 11/09/2019 08:16

Caros Vascaínos,

Na sexta feira passada, dia 06 de setembro, tomamos ciência de uma carta protocolada pelo Conselheiro Julio Cesar Brant de Almeida, naquela mesma data, requerendo ao Presidente do Conselho Deliberativo do Club de Regatas Vasco da Gama (CRVG), a substituição do Conselheiro e Presidente da Associação Cruzada Vascaína Carlos Alberto Nunes Leão Júnior na Comissão de Reforma do Estatuto do nosso Clube pelo também Conselheiro Luís Gustavo de Menezes Ribeiro.

Há tempo estamos cientes que todos os Vascaínos estão cansados das intermináveis brigas políticas do Clube e, infelizmente, esse é mais um episódio, lamentavelmente. Assim, não resta outra alternativa para esta Associação que não seja dar ciência a todos sobre os fatos desde a instalação da Comissão de Reforma do Estatuto, até os verdadeiros motivos do requerimento e da própria carta encaminhada ao Presidente do Conselho Deliberativo do CRVG, a qual transcreveremos “ipsis litteris” ao final desta nota.

A decisão de postular o ingresso de algum de seus membros na Comissão de Reforma do Estatuto foi uma decisão interna da própria Cruzada Vascaína. Importante ressaltar que essa Comissão foi formada antes do nosso ingresso nesta gestão. O Grupo já havia estudado no passado propostas para implementação de reformas estatuárias e queríamos participar desse fundamental debate.

Por fidalguia e iniciativa própria solicitamos duas vagas ao Presidente do Conselho Deliberativo do CRVG e indicamos, na ocasião, com plena convicção, o Conselheiro Renato Cícero Freire de Brito Neto, que é membro da Sempre Vasco. Por mais qualificado que fossem os quadros da Cruzada Vascaína, e teríamos membros para ocupar as duas vagas solicitadas, o Grupo optou pela diversificação “partidária” para maior legitimidade da Comissão.

O Presidente do Conselho Deliberativo do CRVG, entretanto, só nos concedeu uma vaga, e, tomamos ciência dessa decisão, tão somente, na divulgação dos seus componentes pelo próprio Presidente do Conselho Deliberativo do CRVG.

Isto posto, a vaga solicitada não representa nenhum contingente daquele Conselho. O Conselheiro Carlos Leão foi eleito pela mesma chapa de outros membros da Comissão, assim como o Conselheiro ora proposto, Luís Gustavo de Menezes Ribeiro. Também não houve articulação alguma dos componentes da Sempre Vasco para participação na referida Comissão.

A iniciativa, repisando, partiu da Associação Cruzada Vascaína que sempre prezou, e continuará prezando, pela sua independência. Nunca fizemos parte ou fomos submissos ideologicamente a qualquer outro grupo, sem nenhum desrespeito àqueles que hipotecam também o apoio ideológico, além do apoio político.

Entendemos e, nesse ponto, só podemos acreditar que o referido requerimento é uma consequência de conflitos oriundos das redes sociais entre membros da Sempre Vasco e o Presidente da Cruzada Vascaína, Carlos Leão. Não há tergiversações nessa opinião. Lamentamos que tais divergências ocorridas sejam objeto de vendeta por parte da Sempre Vasco. As divergências da Cruzada Vascaína com a Sempre Vasco sempre foram no âmbito político. Entretanto, nunca nos furtamos a conversar e transigir em prol do Vasco da Gama. Apesar dessas divergências, honestamente, não esperávamos um pedido nesse sentido.

Entendemos como vendeta pela seguinte razão: uma vez que, caso a Sempre Vasco não estivesse se sentindo representada na Comissão de Reforma do Estatuto, bastava a solicitação de inclusão de mais um membro. Não carecia qualquer pedido de substituição. Não existe nenhuma trava estatutária que limite a quantidade de membros numa Comissão do Clube. Também nos causa espanto e certa estranheza, imaginar que essa representatividade só agora se tornou um problema para o solicitante e seu grupo, uma vez que já estamos colaborando na gestão do Clube desde maio de 2018, ou seja, há mais de um ano.

Lamentamos o ocorrido e, mesmo sem representante formal na Comissão de Reforma do Estatuto, estaremos atentos às propostas oferecidas aos Vascaínos, já que, tão importante quanto as propostas, a forma como essas propostas serão votadas são do interesse de todos os vascaínos.

No nosso entendimento, o processo de Reforma do Estatuto deve ser aprovado em Assembleia Geral, onde cada sócio, dentro dos seus direitos estatutários de voto, deverá decidir, item a item, de cada proposta da Reforma.

Apenas adequações legais no Estatuto podem dispensar o sufrágio da Assembleia Geral, sendo encargo do Conselho Deliberativo.

Por isso, reforçamos a importância da forma. De maneira alguma repetiremos as práticas contumazes de agentes políticos experientes da política nacional, quando fazem acordos de interesses pessoais e não do Coletivo.

Isto posto, esse processo não pode ser aprovado apenas no Conselho Deliberativo. Não se pode hipotecar o direito da Assembleia Geral em aprovar a Reforma do Estatuto, sob nenhuma hipótese.

Da mesma forma essa aprovação não pode ser em bloco. Cada item deve ser votado especificamente. Também é prática comum da política embutir propostas visando o interesse próprio sob um belo estandarte da Eleição direta.

Em resposta a comentários maldosos, fruto da interminável beligerância, forma de se fazer política, a Cruzada Vascaína reafirma o seu posicionamento favorável às eleições diretas no Clube. Mas estamos atentos e preocupados com o andamento da Comissão de Reforma do Estatuto. Não sabemos quais proposições serão propostas doravante e, muito menos, a forma como elas serão votadas, mas o Vascaíno pode contar com toda a nossa transparência e opinião livre sobre esse assunto, sem nenhuma alienação ideológica, como sempre nos portamos.

É preciso quebrar o ciclo de ódio existente no nosso Clube. Essa corrente necessita ser quebrada agora e não temos problemas com isso. Todos os Associados da Cruzada Vascaína estão orientados a não praticar nenhuma retaliação com grupos políticos do Vasco da Gama.

Rio de Janeiro, 10 de setembro de 2019.

Associação Cruzada Vascaína

Ilmo. Sr. Presidente do conselho (sic!) Deliberativo.
JULIO CESAR BRANT DE ALMEIDA, na qualidade de representante maior e reconhecido dentro do corpo do Conselho Deliberativo do Club de Regatas Vasco da Gama e representante de um importante contingente deste egrégio Conselho, venho pedir a V. Sa. A substituição do representante da parcela desta significativa representação na Comissão de Reforma do estatuto. Quando da formação da comissão, indicamos na mesa diretora dos trabalhos o Sr. CARLOS LEÃO, ocorre que, nas datas atuais o mesmo está juntamente com o Sr. Presidente da Diretoria administrativa, não fazendo mais jus à nossa confiança e representatividade na aludida comissão. Por tais motivos pedimos a substituição do aludido senhor pela pessoa do Sr. LUIS GUSTAVO DE MENEZES RIBEIRO, também membro deste Egrégio conselho (sic!).

Fonte: Cruzada Vascaína

ÚLTIMAS NOTÍCIAS DO VASCO

Vasco

Vasco

X
Corinthians

Corinthians

Arena Corinthians 29/09/2019 11:00
DEIXE SEU PALPITE
Vasco

Vasco

1
X
1
Atlético-PR

Atlético-PR

São Januário 22/09/2019 16:00