Torcida

Idealizador do projeto 'NegroMuro' fala sobre homenagem a Barbosa

Depois de ser reconhecido como patrimônio histórico do Rio de Janeiro, o estádio de São Januário entrou na lista dos locais que vão simbolizar a luta contra o racismo. A casa do Vasco vai ganhar uma pintura em grafite do ex-goleiro Moacir Barbosa, um dos grandes ídolos do clube. A homenagem será feita por meio do projeto "NegroMuro", que busca eternizar o rosto de personalidades negras nos muros da cidade carioca.

Para financiar a pintura do ex-goleiro da seleção brasileira na sede vascaína, o grupo formado pelo pesquisador Pedro Rajão, pelo artista urbano Fernando Cazé e pelo historiador Rhuan Gonçalves criou uma campanha de financiamento com o objetivo de arrecadar R$ 39 mil e angariou mais de R$ 48 mil em doações. A quantia excedente será convertida em compra de cestas básicas para a comunidade da Barreira do Vasco.

Com a meta alcançada, a pintura que será feita pelo projeto terá início no final de julho. O grafite com cerca de sete metros de altura deve ser entregue em uma semana.  

CENTENÁRIO DE BARBOSA

O ex-goleiro, que se aposentou em 1962, será homenageado no ano em que marcaria o seu centenário de vida. Barbosa morreu em 2000, aos 79 anos.

"Pintar o Barbosa, independente de quando e onde, é um ato político. Barbosa é uma das maiores figuras da luta antirracista no Brasil. Não é apenas no futebol ou esportes, é no Brasil mesmo. Ele é um exemplo de como o racismo estrutural, principalmente nos anos 50, pode perseguir um homem vitorioso, multicampeão, um goleiro que enfileirou troféus e colecionou títulos", conta Rajão, idealizador do "NegroMuro", em entrevista ao SBT Sports. "Apesar de todas as suas conquistas, teve seu novo perseguido e sua memória completamente contaminada por essa falsa culpa pela derrota de 1950 contra o Uruguai", relembra. Após a Copa daquele ano, os únicos goleiros negros convocados para defender a seleção em Mundiais foram Manga (1966) e Dida (2002 e 2006).

"Essa homenagem é uma resposta também ao momento que estamos vivendo de apagamento da memória negra. É uma honra muito grande pintar o Barbosa como o 19º muro do projeto", afirma Rajão.

LUTA PELA MEMÓRIA DO EX-GOLEIRO

Tereza Borba, única filha do ex-goleiro, conta que está lutando pela memória do pai e acredita que iniciativas como essa podem ajudar a eternizar sua história.

"Ele é meu anjo negro, meu pai herói da resistência. Sou agradecida a toda torcida vascaína e também quem não é vascaíno e fez sua doação. Isso está mudando a história dele. Quero que as próximas gerações cresçam sabendo que ele foi um grande herói", diz Tereza em contato com a reportagem.

"Eu sou filha dele e contadora da história do Barbosa. Não consigo expressar a minha felicidade. Ele merece isso e muito mais", afirma. 

Também com uma mensagem antirracista, a exposição chamada "Tempo de Reação" foi inaugurada no Museu do Futebol, localizado no Pacaembu, no último dia 19 de junho. O tema aborda a história de Barbosa e ressalta a perseguição que o ex-jogador sofreu nos gramados. A exposição fica em cartaz até o dia 21 de novembro.

Fonte: Site do SBT
Loading...